segunda-feira, 25 de janeiro de 2010

OMAR KHAYYAM

a sabedoria singular
do poeta persa omar khayyam:
(1048-1131)


(eu nunca sou , eu sempre ¨tento¨ ser .
pois houve um dia em que eu
consegui ser .
e naquele dia... não mais busquei.)



4 comentários:

Sandra Botelho disse...

No dia em que eu conseguir ser eu...
Nem sei, acho que não estarei sendo eu...
Complexo né?
Ningeum é o que é, porque ainda não conseguimos ser uma pessoa, somos muitos em um só.
É mais ou menos por ai Rsrsrsr
Bjos meus!

Daniel Dragomirescu disse...

Querido Moises Poeta,
La revista independiente y multicultural El Horizonte Literario Contemporaneo tiene ahora un nuevo website.
Su direccion es la siguente
http://contemporaryhorizon.blogspot.com
Sera un placer para nosotros que se convirtiera en un lector constante de nuestra revista. Muchas gracias !
Todo lo mejor – Toate cele bune,
Daniel D. PEACEMAN, Editor

Querido Moises,
La equipa redaccional les invita a colaborar a nuestra revista con sus obras literarias. Sus obras seran traducidas en rumano y en ingles por la maestra universitaria Lidia Vianu y sus alumnas de la Universidad de Bucarest.
DDP
e-mail: drgdaniel@yahoo.com

Sylvia Araujo disse...

Omar pelo jeito, conhece bem o mar. E ele, assim como nós, reles mortais, é imprevisível. O que o faz encantador. Pra que ser um se na verdade somos tantos, tantas coisas e sentimentos? Eu tô com ele. Sou muito mais buscar...

Adorei seu canto cheio de encantos, viu?

Efigênia Coutinho disse...

"OMAR KHAYYAM"

Grande postagem, este poeta tem uma alma como um lago.......


ADOREI

Efigênia Coutinho