segunda-feira, 9 de agosto de 2010

O COLECIONADOR DE GRITOS















SILÊNCIO !

DAS GAVETAS DO MUNDO VIRÁ UM GRITO !
ESPESSO...!

CRUZANDO FRONTEIRAS ,
ARRASTANDO CAMINHOS...

RISCANDO COM RAIVA O CÉU CINZENTO.

VIRÁ UM GRITO DA BOCA ARREGANHADA.
RODOPIANDO COM A FORÇA DE MIL ECOS
MALDIZENDO OS CONFINS.

VIRÁ PRECISO ! INFALÍVEL !!
ENVERGANDO HORIZONTES
COMO CHAPAS DE ALUMÍNIO .

E CHEGARÁ ATÉ NÓS , INTACTO !

SEM SILABAS !

COM MÁGOA

E COM RANCOR.


(moisés poeta )

39 comentários:

Ana Lucia Franco disse...

Moisés,

Que venha o grito em (boa) poesia.


um beijo..

Cris França disse...

a gente grita porque sente o coração distante. fico feliz toda vez que vc me encanta com sua presença. bjs meu querido

Betha Mendes disse...

Moisés,

até no silêncio se grita... poeticamente se grita, mesmo que angustiante seja.

um abç

Betha

Pétala_Rosadinha disse...

Um grito cujo eco parece nunca ser ouvido...

E assim caminha a humanidade.

Um tanto de beijos.
Belo grito, senhor poeta!

Lídia Borges disse...

Muito intenso...

Deixou-me um grito a arder na garganta.

L.B.

Zélia Guardiano disse...

Moisés...
"O colecionador de gritos" é o texto( acompanhado desta maravilha de imagem, que não sei se devo dizer maravilha, ou não, mas digo...) que mais me impressionou, desde que estou vivendo e convivendo , aqui na blogsfera...
Profundo, ácido, cru, nu, como tem de ser, mas que muita vez falta coragem...
Acabo de falar sobre cuitelinho, num comentário lá no meu espaço. É válido, é necessário, no combate à aridez da vida, penso eu... Mas temos de falar também de abutre...
Mil vezes parabéns pelo teu lindo poema!!!
Grande abraço, todo entremeado de admiração, Poeta...

Priscilla Campos disse...

Olá...
Obrigada pela visita...\o
Estarei visitando seu blog tbm...
Um grande abraço, e to seguindo.!!

Guilherme Diogo Rodrigues disse...

Moisés

Que belo poema!!
Obrigado pela visita em meu blog, vou visitar sempre o seu!
Você escreve muito em, quem me dera escrever assim!!!

Abraços!!

Insana disse...

Precisamos de mel GRITOS.

bjs
Insana

Sandra Botelho disse...

O mundo está murmurando pedido de socorro...Em breve ele gritará, ai, até os que se deixam ensurdecer terão que ouvi-lo.
Bjos achocolatados

Cris de Souza disse...

Viajemos...
A recíproca é extremamente cristal!

Meias de Seda (Suzy) disse...

Oi, Moisés.
Obrigada pela visita.
Também gostei muito do seu blog e de seus escritos. Parabéns!
Tenha um ótimo início de semana ;)

Sil.. disse...

Se eu tenho o direito ao grito, então grito!!!!!

Moisés, estava com saudade de você, e de passar aqui!

Um abraço grande, meu querido!!!!

Lauraine Santos disse...

Enquanto o miserável espírito humano gritar, a miséria material se continuará se propagando... então, que gritem as boas vozes, as atitudes de mudança!

Obrigada por me seguir. estou retribuindo!

ps.: pela descrição do blog, estou classificada entre os demais loucos! rsrsrs...
bjs!

Renata de Aragão Lopes disse...

Que imagem impactante!
Quantos gritos contidos...

Um abraço,
Doce de Lira

Sandra Botelho disse...

Passando para desejart-e um lindo dia e deixar-te um beijo
Bjos achocolatados

ju rigoni disse...

Poema de imagens fortes a escancarar uma crua realidade. Poema necessário.
Gosto muito de ler seus escritos, poeta.

Sempre fico muito feliz com suas visitas.

Bjs, Moisés, e inté!

Jorge Manuel Brasil Mesquita disse...

Belo poema. depois de se lê-lo, fazemos parte do grito que se grita, ao olharmos a imagem que é uma colisão do tempo em que vivemos.
Jorge Manuel Brasil Mesquita
Lisboa, 19/08/2010

Lou Vilela disse...

Imagem e texto impactantes, meu caro!

Abraços

Taninha Nascimento disse...

Façamos silêncio para ouvi-lo...

O mal da humanidade e não ouvir nada: todos só querem falar.


Adorei, parabéns!

Bjs!!

Fátima disse...

Gritos como os dessa foto (muito triste), ouvimos o tempo todo, e não entendo a falta de humanidade.

Beijo Poeta

Lua Nova disse...

Me fez lembrar uma música de Caetano (Um índio) que diz:

"E aquilo que nesse momento se revelará aos povos
Surpreenderá a todos, não por ser exótico
Mas pelo fato de poder ter sempre estado oculto
Quando terá sido o óbvio"

Há, sim, muitos gritos presos na garganta que acabamos colecionando sem conseguir gritá-los na cara de quem tem o poder de mudar de forma relevante, essa ordem mundial injusta, fratricida, desumana e cruel. Essa imagem que vc postou dói de forma quase insuportável na minha alma. Óbvio é o fato de que, se nada for feito, povos inteiros serão dizimados nos próximos anos, pagando caro pela ganância capitalista dos poderosos senhores do planeta. É obvio que os países mais pobres, as populações mais miseráveis, serão as mais afetadas pelas tragédias previstas devido ao aquecimento global.
Ai, melhor calar minha boca... já falei demais... mas é um assunto que me empolga e seu poema é inspirador.
Vá conhecer meu blog pois me dará imenso prazer.
Um fds proveitoso e feliz.
Beijos.

Angélica Lins disse...

Forte!!!
E eu que sou das palavras...Faltaram-me todas.

Meu abraço!

Sil.. disse...

Saudade Moisés!

Beijão!

.ana disse...

oie!
obrigada pelo comentário lá no blog. =)

teu canto aqui tb é bem interessante! voltarei...

:**

Patrícia Gonçalves disse...

Que poema forte!

Que se faça o grito, que nele se imponha o peso da palavra, e que esta seja bem vinda.

beijos e obrigada pelas visitas

Assis Freitas disse...

a foto, emblemática, serve de sedimento aos versos que ecoam, quantos gritos ainda virão até o final,


abraço

Sil.. disse...

E, eu vou esperar você voltar.

Tua poesia, sempre vai fazer falta.

Beijãoooooo Moisés, tu és um queridoooo!

Wolber Campos disse...

Meu amigo, uma ótima poesia, forte como precisa ser para enfrentar uma imagem como esta.

Que imagem chocante! Penso se governantes conseguem ver algo do tipo e dormir em paz. Consciência anda em falta.

Um grande abraço!

Luz disse...

Olá, tem um presentinho para você em meu blog, vá buscar...
Um selinho de qualidade com todo carinho, pois você merece!
Bjs e paz!

Danilo de Abreu Lima disse...

moises,
gritos vieraml, vêm e virão, a todo instante...
como luzes e sombras de estrelas que explodiram há zilh~es de anos-luz, sua luz chegará até nós, com suas cargas de angústias, de alegrias e de sensaçõe de vida que trouxeram...
os poetas todos brilham em pleiades nos céus... desde as caavernas até os ciobernéticos... mudam os meios não mudam os homens...
belo poema... como sempre- lúcido..
abraços danilo.

Batom e poesias disse...

Quantos gritos precisarão?

Talvez a poesia que lateja, exploda em salvação.

Forte e belo poema, Moisés.
Terrívelmente triste a imagem.

Honrada com sua visita no meu cantinho.
Bj
Rossana

Juliana Lira disse...

E que grito maravilhoso esse teu!!!

Quanto ao grito que ouviremos dos confins da terra, quererá que o homem ouça e faça alguma coisa por ele.Pois pra isso ainda há tempo.

Obrigada pelo carinho no meu niver.

Milhões de beijos

Sônia Brandão disse...

O grito já está no ar, mas os ouvidos continuam surdos.

Gostei do que vi por aqui e também da sua visita.

Sílvia disse...

E aí talvez ouçamos.
Um beijo :)

Kássia Rayane disse...

Admirei muito seu blog, Parabéns por tudo que você fala aqui! Lindos poemas, . Sem palavras, um beijo :*

A.Luiz.D disse...

A sutileza do universo,
do mais profundo ao o mais distante objetivo..
O pedido, a dúvida,... o reflexo
do desespero.

endim mawess disse...

profundamente forte

Suedivaldo disse...

I ai Moisés, Tudo blz kara?
Que belo poema, o blog esta muito bonito tambem. Parabéns! Agora ja estou seguindo e vou acompanhar sempre. Eu tambem tenho um blog, o meu é de fotografias, segue la tambem tem um trabalho bem bacana.

http://galeriadephotoos.blogspot.com/

Vlw

Forte Abraço!