domingo, 26 de setembro de 2010

ITINERÁRIO

Hoje eu escolhi o caminho mais longo.
e deixei ser apenas um cisco
o objeto da minha distância.

Hoje eu quis ter asas e romper setembro.
como icaro querendo morada no sol .

Mas como fugir daquilo que levo por dentro?
se sempre me perco entre prédios famintos ,
engolidores de gente.

Com suas sombras gigantes
e suas solidões geométricas.


(Moisés Poeta )

47 comentários:

Graça disse...

É,poeta...
Esse 'caminho das pedras'não é fácil mesmo, hein amigo?! As duras e frias 'formas geométricas' seguem cumprindo bem o seu papel: o de nos fazer sentir aprisionados dentro de nós mesmos!
Mas há solução. Basta buscar, não concorda comigo???
Linda, a forma como escreve. Muito gostoso mesmo teu estilo.

Estou retornando aqui para cumprir com um dever de pessoa civilizada, ora bolas...entrei aqui no seu blog, seu espaço sagrado, contatei vc, convoquei sua ajuda e...nada de seguir esse poeta?
Que feio eu fiz, me desculpe.
Mas já corriji meu erro,espero ser perdoada.

Meus sonetos estão sendo melhorados,lapidados, depois eu os apresento a vc, ok? Por enquanto, agradeço!

Parabéns pela obra que li agora.
Um abraço!

Virtudes Montoro López disse...

Me encantó, otro beso!

Sil.. disse...

Pois é, meu querido!!

Como a gente foge disso???

Lindo o que sai dessa sua alma!

Beijo meu!

Insana disse...

Poema de muita dor.

bjs
Insana

Lara Amaral disse...

Solidões angulares, pensamentos quadrados...

Belo poema!

Beijo.

Betha Mendes disse...

Moisés, poeta!

lindo poema...
a solidão entre as pessoas,
a solidão dentro de si,
a busca,
a estrada, às vezes vazia,
às vezes cheia de esperança!

Abraço pra você!

Betha

Lua Nova disse...

Fazendo poesia para dar à tua alma a amplidão que ela necessita.
Um lindo poema, querido Moisés, e ele é ensolarado, apesar das sombras gigantes.
Beijokas.

Anônimo disse...

Olá!

Tenho uma proposta para seu blog que acredito ser relevante para você.

Caso haja interesse, entre em contato!


Atenciosamente,
Cristiano
contato@webreside.net

Si Fernandes disse...

Muitos estranhos tenho conhecido
Na estrada para meu remorso
Muitos perdidos buscam se encontrar em mim
Eles me pedem para revelar
Os muitos pensamentos que eles esconderiam. ( Love rescue me U2 )

Não sei porque esse poema me arremeteu a essa música.

Bom demais!
Beijos.

Zélia Guardiano disse...

"Mas como fugir daquilo que levo por dentro?"
Bastaria este verso para deixar-me completamente cativa de seu poema, Moisés amigo!
No entanto, há ainda mais e mais...
Felizmente!
Que imenso poeta você é!
Grande abraço.

Domingos Barroso disse...

Este é o teu alimento,
poeta, perder-se sempre
mergulhado ao assombro
das tuas vozes.

Um urro reflexivo
que se expande sobre "(...) prédios famintos, engolidores de gente(...)"

Forte abraço,
meu camarada.

| A.Luiz.D | disse...

Fugir do orgulho,
do ego, se reflete
no cenário
traduzido do medo.

abraç

Pistoleiro Corvo disse...

Reflexivo...
A Liberdade é uma das coisas mais valorosas e belas da vida, porém em certas ocasiões, devemos lutar.

Gostei demais.

Abraços!

RECANTO DA POESIA disse...

" De todas as Primaveras ...
A mais linda
Encontra-se nos olhos
De quem nos ama "

=- Bruno de Paula -=

Beijos de coração prá coração! M@ria

Salete Cattae disse...

Lindo poema, Moisés.

Podemos fugir de tudo, menos de nós mesmos. :)


bjs

Sandra Botelho disse...

Se a alma nos pesa o corpo, como voar?

Bjos achocolatados

Rodrigo Passos disse...

esse é meu tipo de poesia. amei!

X disse...

E o que fazer meu caro?! Você disse a mais pura verdade

André disse...

Olá Moisés, obrigado pela visita ao meu blog e pelo seu comentário. A opinião das pessoas referente ao meu blog é enriquecedor para mim. Volte sempre que quiser. E aproveitando a oportunidade, gostei muito do seu blog, dos textos e esse em particular "Itinerário" é desafiador. Parabéns!

Bom fim de semana.

Abraço.

André Ribeiro

" A vida feliz consiste na tranquilidade da mente". (Cícero)

Whesley Fagliari disse...

Querido Moisés,

Lindo itinerário esse que tu escolheste para trilhar... Luz e paz em seu caminho!

Obrigado pela visita... Vc é sempre bem vindo! Abraço sincero de amizade profunda...

CYWMARA WADISQUY disse...

...ESCOLHAS...

querer...

tudo resulmesse a sentir-se amado
e fugir de quem não nos ama!!

XEROOOOOOOOOO

Anna Amorim disse...

Caro Poeta,

Na Selva de Pedra, não temos como fugor, nem por dentro de nós, mas é desta forma que nasce a poesia.
Deiei resposta para você no meu blog.

Forte abraço

Anna Amorim disse...

Caro poeta,

Errata: fugor-fugir

Abraços

Sandra Botelho disse...

Passando pra desejar-te uma linda semana.
Bjos achocolatados

J Araújo disse...

Moisés, esse nome me remete ao meu avô materno. É isso poeta Moisés, desejo avc muito sucesso.

abraço

Rose disse...

Oi Moisés, obrigada pela visita;
estarei por aqui tb!
parabéns pelo blog!
Grande abraço!
Rose

Lauraine Santos disse...

Menino...
Vou te confessar uma coisa, eu costumo gostar do que eu escrevo, mas seus textos sempre me causam aquela boa inveja, de olhar e pensar assim:"esse texto não podia ser meu?!" rsrs... Traduzindo: Adoro seus textos. Parabéns!!

A propósito, uma ex professora entrou em contato comigo, pra dizer que havia passado meu blog a uma aluna, e pediu que eu enviasse outros blogs com bons textos pra ela... Estarei incluindo o seu, ok?

Beijoks e uma Boa semana!!

Vinicius disse...

Realidade contemporânea não é fácil. Belíssimo texto.

e visite o meu blog sempre que quiser.
;)

Marcio Nicolau disse...

"solidões geométricas", extraordinário verso! Poema urbano e de uma beleza sem par. Parabéns.

lupussignatus disse...

do longe

se faz

des.perto



*abraço*

Ana Claudia disse...

Moisés, que bom que nos encontramos por aqui!
Entre as "solidões geométricas", procuramos uma evasão virtual. E nisso, podemos nos ajudar, né.
Um beijo pra você

Insana disse...

"Não é o mais forte que sobrevive, nem o mais inteligente, mas o que melhor se adapta às mudanças"
Charles Darwin


Bjs
Insana

Graça disse...

Poeta,

FELIZ ANIVERSÁRIO, meu amigo!!!

Soube através de um pássaro verde, e vim abraçá-lo, desejando que Deus o ilumine sempre, guie seus passos, proteja sua vida e te ajude a continuar a escrevinhar mais emais belos poemas,visse?

Não sei se é do seu conhecimento, mas eu ensaio uma outra arte, a de designer...(tá, de araque, concordo com o 'moço de chapéu' aí...) fiz um procê e vc poderá retirá-lo no 'horário comercial'...rs..após as 14h dehoje!

Estará em

http://botoeseanjosmimos.blogspot.com/

Venha buscar, é seu.

Graça disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Walkyria Rennó Suleiman, disse...

Pois é... desculpaí Moisés, mas é uma merda esse lance. essa coisa da gente ter esse gancho, esse padrão dentro de sei lá onde. Coração? Alma? Mente?
Poxa, como é duro menino, fugirmos de nós mesmos.
Eu tbm tenho meus dias de Icaro.... eacabo no asfalto.

CYWMARA WADISQUY disse...

mas...como sempre FAZEMOS A DIFERENÇA!

XEROOOOOOOO

Lou Vilela disse...

Lembrei-me de algo de Florbela: "E se um dia hei de ser pó, cinza e nada que seja a minha noite uma alvorada, que me saiba perder...pra me encontrar".

É sempre muito bom passar aqui!

Abraços,
Lou

p.s.: Obrigada pelas visitas ao Nudez Poética, meu caro! :))

Patricia disse...

É tão bom quando nos enxergamos no poema de grandes poetas...

Obrigada pela mensagem no meu blog.

Bjs,

Patricia.

Anônimo disse...

Ah!

Pensando bem,sua aparência me lembrou muito o personagem Moshê do Prícipe...

bjs,

Priscila Mondschein disse...

Escolher caminhos diferentes sempre nos levam a percepções novas... no seu caso, sobre a nossa pequenez diante da selva de pedra... sempre sinto isso!
Beijo

cristine Lima disse...

Gostei muito... profundo e sensível...
Estou seguindo voce.
Gostaria de convidá-lo para ver meu blog. Comentários são muito bem vindos!

Lidi disse...

Belíssimo poema. Eu me encontrei nele. Obrigada pela visita ao meu blogue. Bjs

Cris Caetano disse...

Tenho me sentido assim, inúmeras vezes.

Beijos

Insana disse...

Que venha 2011, pois
Será o ano do Sol a iluminar. Grandes e Pequenos Passos.
Será ano Impar unilateral
Será o ano do Coelho multiplicador

Plante a semente da vontade
Regue com o dose desejo
E terá bons frutos para colher..

Um feliz 2011 da Insana

OBS desculpe a ausência nas festas..

Eliana Mora [El] disse...

o que 'será que será' de nós ou de outros que procuram se enxergar? [belo poema.

beijo!

BLOG DO PROFEX disse...

muito profundo. Não estar perdido entre predios frios e geométricos, mas empedrado, emparedado dentro de si mesmo e procurando um itinerário além da própria solitude..
Grande abraço, companheiro...

Eloah Borda disse...

Moisés, apesar de minha correria diária (quase diuturna...), desde ontem estou vindo aqui, aos poucos,e em silêncio, pois, entre ler e comentar, estou optando por ler, mas não resisti passar sem comentar esse teu "ITINERÁRIO", principalmente a esta parte:

"Mas como fugir daquilo que levo por dentro ?
se sempre me perco entre prédios famintos ,
engolidores de gente.

Com suas sombras gigantes
e suas solidões geométricas."

Abraço grande.
Eloah